domingo, 13 de dezembro de 2009

Os 100 mais de uma década de concertos, #76-80

76. UXU KALHUS @ MERC. RIBEIRA
13 de Março de 2004
Ah, as saudades dos bailes promovidos pelos Uxu Kalhus no Mercado da Ribeira. E a surpresa de ver tanta, tanta gente, a seguir ao pormenor as mazurcas, jigas e várias outras danças de tradição europeia. Bailarico sempre até às tantas da noite.

77. JACKY MOLLARD ACOUSTIC QUARTET @ FMM SINES
24 de Julho de 2007
Escrevi, na altura: "Foi, para mim, o primeiro grande estrondo do FMM deste ano. É certo que, em Porto Covo, os Etran Finatawa e o Darko Rundek já tinham rendido bastante, mas na segunda-feira, no Centro de Artes de Sines, o Acoustic Quartet do bretão Jacky Mollard produziu a primeira das grandes maravilhas ao vivo do festival. A canção irlandesa tem andado um pouco arredada dos festivais de música do mundo, se exceptuarmos naturalmente os intercélticos que se vão realizando pelo Norte do país. Quando se encontra um "fiddler" como o Jacky Mollard (parecido com o Fausto como qualquer outro bretão) é motivo de grande regozijo. Já para não falar do encontro de novo com ele na companhia do seu acordeonista na esplanada do bar do Salão Musical, para uma jam até às tantas da manhã..."

78. VIRGÍNIA RODRIGUES @ COLISEU DOS RECREIOS
22 de Abril de 2000
Raramente se ouve falar de Virgínia Rodrigues, pelo menos por cá. Já sabemos que a grande massa de público português está mais interessado noutros andamentos da música brasileira, mas a baiana nem tão pouco surge como tema nos meios mais atentos ou mais exigentes. Virgínia Rodrigues tinha sido descoberta por Caetano Veloso pouco tempo antes deste concerto em Lisboa, o que lhe terá provavelmente aberto as portas para concertos em salas como o nosso Coliseu dos Recreios. Não me consigo recordar se estaria cheio, se o público aderiu. Mas tenho a certeza que fui dominado, in loco, por aquela impressionante voz de cantora erudita a visitar temas escritos e popularizados por outros, tal como conhecia do magnífico disco de estreia, "Sol Negro", lançado pela Natasha, editora de Caetano.

79. OQUESTRADA @ INCRÍVEL TASCA MÓVEL (no CCB)
10 de Agosto de 2007
Escrevi, na altura, que era a festa do ano. "Esta é uma noite de e para gente alegre que se senta à volta das mesas, que bebe um copo, dois, três e por aí fora, enquanto sorri à candura de Miranda, à viagem estética dos Oquestrada (....)". Há mais do que Oquestrada na "Incrível Tasca Móvel", o espaço que os velhos não esquecem e os jovens adoram, mas o grupo de Miranda e Jean Pablo surge como o principal impulsionador. E mesmo quando não é no âmbito da Incrível Tasca Móvel, são uma das melhores opção para uma noite bem passada que por cá temos (enquanto não saltarem de vez a fronteira e porem-se a mostrar aos outros o que é esta maneira divertida de se ser português).

80. HARRY MANX @ FMM SINES
26 de Julho de 2007
À medida que o sol ia ameaçando desaparecer até ao dia seguinte, o manês (espécie de gentílico inventado à pressa para quem provém da Ilha de Man) Harry Manx cativou o público junto à praia, com o seu blues impregnado de raga, com uma mohan veena (uma guitarra adaptada à música clássica indiana. Aprendi a cortar na palavra sublime como quem corta no açúcar para o café, mas aqui vou ter que dar uma facadinha e usar o termo. Sublime.