quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Os 100 mais de uma década de concertos, #26-30

26. TORTOISE @ PARADISE GARAGE
31 de Março de 2001
Era a primeira vez que os Tortoise, um dos meus grupos favoritos na altura, cá vinham. Tendo acordado na manhã daquele dia em Chefchaouen, em Marrocos, fiz-me à estrada a toda a brida. Ainda furei um pneu em Sevilha e tive outros percalços pelo caminho, mas consegui ainda chegar a tempo do início do concerto no Garage (onde voltariam, um ano depois, para a festa da Thrill Jockey). Se já era imperdível a priori, nunca me perdoaria, sabendo o que sei do que vi e ouvi, por ter faltado à chamada.

27. KID606 @ CASTELO DE TRANCOSO
27 de Julho de 2002
Neste Verão de 2002, a cidade serrana de Trancoso albergou no seu castelo um festival de dois dias dedicado às electrónicas e afins. O evento, integrado na Bienal Internacional de Poesia de Vila Nova de Foz Côa, juntou nomes como os de Chicks on Speed, People Like Us, Ladytron (DJ set), Hipnótica, Rafael Toral, etc. Entre estes, encontrava-se ainda Miguel Trost De Pedro, o venezuelano que se abriga sob o nome Kid606, e que se apresentaria com um arsenal de batidas e ruído que deixaram marca. O terrorismo sónico de Kid606 voltaria depois, designadamente para uma actuação na ZDB, em Outubro de 2004, mas sem conseguir superar a prestação no castelo.

28. THE SKATALITES @ FMM SINES
26 de Julho de 2003
Por falar em castelo, mas agora no de Sines, eis um dos melhores momentos de encerramento do historial do FMM. O portugalreggae.com tem uma reportagem rigorosa do espectáculo.

29. POP DELL'ARTE @ FORUM LISBOA
27 de Julho de 2005
Salvo erro, estava-se há bastante tempo sem um concerto de Pop Dell'Arte e esta foi uma bela ocasião para apaziguar as saudades. Há reportagem do Rodrigo no Bodyspace.

30. STARS OF THE LID @ NIMAS
6 de Dezembro de 2007
Nunca por cá tivemos os Labradford (a não ser que a memória me esteja a pregar a mais habitual das partidas), mas há cerca de dois anos fomos abençoados pela vinda de outro nome maior do universo de adoradores de estrelas, estetas e dos drones, escultores do ruído e do silêncio, os Stars of the Lid. E com trio de cordas. E no antigo cinema Nimas, espaço ideal não só para ouvir e sentir as melopeias planantes do duo mas também para ver as imagens que as acompanhavam.