sábado, 12 de dezembro de 2009

Os 100 mais de uma década de concertos, #81-85

81. ANONIMA NUVOLARI @ CATACUMBAS
19 de Setembro de 2007
Em pouco mais de dois anos, já vi por mais de dez vezes os Anonima Nuvolari, pandilha absolutamente chanfrada de italianos a viverem em Lisboa. O alinhamento não tem mudado muito -- excepção feita a uma memorável véspera de 25 de Abril na ZDB, em que, sob o nome de Anarchica Nuvolari, se puserem a tocar temas revolucionários -- mas, por mais que já se conheça de trás para a frente aquelas canções napolitanas de meio do século passado, tocadas de uma maneira muito especial, a festa está sempre garantida. E neste concerto nas Catacumbas, cometeu-se a proeza -- arriscaria, inédita -- de se tirar as mesas e cadeiras da sala principal, para que toda a gente pudesse dançar. E dançaram que se fartaram. E ouviram a bela voz de Chiara, que nem sempre aparece no meio dos outros italianos.

82. SIX ORGANS OF ADMITTANCE @ ZDB
10 de Junho de 2004
Era capaz de ficar horas a ver Ben Chasny a dedilhar a guitarra. Este os vários espectáculos a que assisti, destaco o primeiro de todos. Três meses depois, viria novamente a Lisboa, desta vez com os Current 93. Se fosse futebol, dir-se-ia que Chasny trazia a magia que o esoterismo da equipa de Tibet precisava.

83. HIPNÓTICA @ ZDB
4 de Abril de 2003
Já perdi a conta ao número de vezes que vi Hipnótica ao vivo. E ao número das que gostei do que vi e ouvi, que é quase sensivelmente o mesmo. Destaco este, em que o grupo fez, ao vivo, a banda sonora de um filme, o qual me escapa neste momento.

84. DAVID THOMAS BROUGHTON @ ZDB
5 de Março de 2008
Quando um gajo já estava farto de artistas a abusarem dos loopers para recriarem camadas sonoras de suporte ao vivo, ora porque lhes saía mais barato do que andar com outros músicos a acompanhá-los, ora porque se achavam especialistas na inovação artística (ei, o Matt Elliott não entra nestas contas), surge este inglês, com uma abordagem ao processo, absoluta e hilariantemente criativa.

85. THE GO! TEAM @ ALIVE
9 de Junho de 2007
Eles pulam, trocam de instrumentos a toda a hora (já aqui disse que gosto de ver bandas em que os músicos trocam de instrumentos, desde que nisso se mostrem competentes?), puxam pelo público. Festa, festa!