segunda-feira, 14 de abril de 2008

Um pequeno aparte

Entre todos os músicos e artistas que entrevistei até hoje, o Adolfo Luxúria Canibal calha sempre na categoria daqueles que não dão trabalho a editar as respostas. Não há muitos que o consigam. Seja por escrito, como é o caso da entrevista que decorre ao longo destes dias, seja oralmente, o Adolfo sistematiza sempre a resposta de forma exemplar, focando-se no essencial e raramente se deixando repetir.
(Não decorrerá disto, mas não admira que os Mão Morta tenham tido sempre o carinho da imprensa.)