quinta-feira, 17 de abril de 2008

Maldoror: a entrevista #8


(Ilustração de Isabel Lhano que acompanha a edição em CD de "Maldoror")

8. A esta data, restam ainda duas apresentações de "Maldoror", uma na Culturgest, em Lisboa, e outra que constituirá o regresso do espectáculo à casa de onde partiu, por assim dizer, o Theatro Circo de Braga. Será o fim definitivo de "Maldoror" em palco?

ALC: Sim, é o fim definitivo de "Maldoror" em palco. Ficam os testemunhos, o CD e o DVD (quando sair), e sobretudo a memória das pessoas que tiveram a oportunidade de assistir ao "Maldoror" ao vivo!... É um espectáculo que se torna relativamente leve com o decurso das apresentações, com os automatismos que se vão desenvolvendo, mas demasiado pesado para ficar em stand-by e de arranque excessivamente trabalhoso e caro para ter aparições esporádicas! Por outro lado, não sei se fará sentido extirpar pedaços desse corpo, que é uno, para usar como canções em concertos mais tradicionais... Não, definitivamente será o fim de "Maldoror" ao vivo!