terça-feira, 6 de março de 2012

Uma pequena nota sobre o preço dos bilhetes e a carreira de um artista

A propósito dos bilhetes para o concerto do Bon Iver, em troca de palavras com um amigo, dizia ele:
"É impressionante como um gajo às vezes apenas com um disco já consegue ter bilhetes a esse valor, é tudo muito rápido hoje em dia."
Eu acrescento que mais difícil hoje é acontecer o contrário, ou seja, um artista ao quarto ou quinto disco conseguir ter bilhetes a esse valor.

Faz isto ligação direta com aquela constatação por várias vezes trazida às discussões pelos responsáveis da indústria discográfica e não só, de que hoje é impensável fazer-se carreiras. O mercado da música valoriza cada vez mais a novidade e reage aos fenómenos recentes, dispensando o prolongamento das carreiras. Esse caminho, aparentemente, funciona apenas para a velha guarda, para o Bruce Springsteen, para os U2, para a Madonna, o Paul Simon ou os Pearl Jam, cada um na sua dimensão. Hoje em dia, o sucesso é para acontecer logo ao primeiro ou segundo álbum. Poucos serão os que conseguirão ir além disso. A Lady Gaga vai, provavelmente, ser esquecida tão rapidamente como foi a Rihanna.