sexta-feira, 27 de junho de 2008

Dos Timbila Muzimba, dos sorrisos, das vontades

Dá vontade de dar graças a um deus qualquer por ter dois ouvidos para receber e duas pernas para responder. Dá vontade de suar toda a água do corpo ao som das timbila e das outras percussões. Dá vontade de ficar a dançar aquele longo tema derradeiro até aos primeiros raios de sol. Dá vontade de sorrir como um moçambicano sorri de alegria (nunca repararam?). Dá vontade de chorar de alegria. Dá vontade de abandonar esta fortaleza cada vez mais fechada de Schengen e abraçar o calor maternal de África. Dá vontade de ir ao Porto para rever estes Timbila Muzimba no meio daquele cartaz formidável do Mestiço no domingo...
(Desculpem o despropósito no estilo, mas não encontro outra maneira de descrever o espectáculo intenso que os moçambicanos Timbila Muzimba ofereceram esta noite na ZDB...)