terça-feira, 27 de abril de 2010

Forro in the Dark e outros "latinos" no FMM



Mauro Refosco (tambor zabumba), Davi Vieira (percussão), Guilherme Monteiro (guitarra), e Jorge Continentino (saxofone e pífaro) são quatro brasileiros emigrados em Nova Iorque, como tantos outros. Músicos, como tantos outros. Mas os quatro formam também o colectivo Forro in the Dark, único na forma como casa o forró do Nordeste brasileiro com outras músicas, do rock ao jazz, numa maneira, digamos, muito nova-iorquina. Tornaram-se especialmente conhecidos quando David Byrne os apadrinhou e desde então tem sido aclamados por meio mundo. Vão estrear-se em Portugal com um concerto em Sines, na madrugada de 30 de Julho, junto à praia.

O próximo FMM vai, aliás, ter mais música de expressão ou tons latinos. É o caso da cantora Céu, também brasileira e cada vez mais famosa nos EUA, ocupando na tabela billboard uma posição que já não se via desde Astrud Gilberto, nos anos 60. O seu espectáculo vai ser dia 28 de Julho, no Castelo. Dias antes, a 24 sobe ao palco de Porto Covo, La 33, uma orquestra colombiana de salsa. Da Argentina, e cinco anos depois, regressam ao FMM os 34 Puñaladas: dia 27, no auditório do Centro de Artes de Sines. Na madrugada de 28, actuam na praia os peruanos Novalima. Também na praia, mas na madrugada seguinte, uma estreia em palcos europeus: Las Rubias del Norte vêm dos EUA, não são de origem latina e vêm do canto clássico, com um projecto que recupera a música latina dos anos 30 a 50 do século passado, que dominava as ondas da rádio antes do rock entrar em força. Finalmente, no que a este conjunto de novidades latinas no FMM diz respeito, outro colectivo norte-americano, Grupo Fantasma, também destacado para a praia, para a madrugada de 29.