domingo, 11 de maio de 2008

O legado do Fernando Magalhães

O Fernando Magalhães deixou-nos há cerca de três anos. Um número substancial de leitores habituais ficaram orfãos de novos textos com um "FM" no final, onde, com a extensa base de conhecimento e o humor que era característico do Fernando, dava a conhecer músicas novas e antigas. Parte do legado crítico do FM começa agora a ter uma presença na net, através do seguinte blogue:
poeira-cosmica-fm.blogspot.com

Apesar de ser preciso subir muito até se encontrar a cabeça de Cope a pairar acima das nuvens, não quer dizer que o “acid head” esteja louco. Está é “alto” há uma quantidade de tempo. Mas já foi pior. Ele afirma que deixou de ingerir ácido há oito anos, preferindo actualmente os cogumelos e a erva. (...)
O fogo de Kundalini (energia sexual transmutada em energia mental, na iniciação tântrica) continua a subir pela espinha de Julian Cope até ao “chakra” (centro nervoso do corpo astral) superior da nuca, como se vê pela imagem da contracapa desta alucinada caixinha… Resta saber até quando conseguirá ele manejar as suas labaredas sem se queimar. Para já, o cérebro fugiu num foguetão.

(in crítica a "Interpreter", de Julian Cope, 23 de Outubro de 1996, suplemento Pop-Rock do Público.)