domingo, 10 de abril de 2011

Foi ontem. E ficou marcado para a vida.

Não há de todo tempo para desenvolver, mas fica o testemunho que ontem assisti a um dos mais impressionantes, um dos mais intensos, um dos melhores concertos da minha vida. O Pacheco gravou o encore: