sexta-feira, 29 de abril de 2011

E assim (não) acontece aqui ao lado

Se alguém vos perguntar quantos discos precisam de vender numa semana para entrar no top 100 espanhol, arrisquem 75. Não ponham as mãos no fogo por isso, contudo, porque confirmação oficial é coisa que não existe. A informação foi divulgada, por lapso, pela associação responsável no país aqui do lado por publicar tabelas de vendas, a Promusicae. Tal como por cá, as tabelas divulgadas junto do público em geral não costumam trazer informação sobre o número de discos vendidos. Mas esta semana trouxeram. Foram retiradas, claro, após alguém ter dado pela bronca, mas houve quem, alegadamente, fez o favor de guardar esses dados para que todos possamos ver. Espreitem neste forum, por exemplo, que o Blitz, que por cá avançou com a notícia, indicou. A tabela saiu desformatada, mas basta saber que os números aparecem a seguir à designação da editora: exemplares vendidos na semana atual, variação relativa de vendas de exemplares face à semana anterior, exemplares vendidos na semana anterior e, finalmente, total de exemplares vendidos nas semanas em que o artigo esteve na tabela. Importa ainda dizer que a recolha de informação abrange 79% das lojas -- e que nestas estão incluidas as principais, pelo que haverá uma cobertura de vendas superior a 79% -- e ainda as vendas digitais.

Voltemos aos 75 discos. Acham pouco? Mais impressionados ficamos quando começamos a subir na tabela. Nesta semana, para entrar na lista dos 50 mais vendidos, por exemplo, os Strokes apenas precisaram de vender... 162 discos. Estão há cinco semanas na tabela e venderam pouco mais de dois milhares de cópias. Convém recordar, se entretanto já se perderam, que estamos a falar de... Espanha. Não é a lista de vendas do Jumbo de Alfragide.

Ora, se isto acontece em Espanha, o que acontece neste mercadinho pequenininho que é o português? O Blitz aponta algumas pistas, mas o melhor mesmo é esperarmos se a AFP comete o mesmo lapso que os seus homónimos espanhóis.