segunda-feira, 17 de novembro de 2008

What a swell party

Ainda a propósito dos Swell, descobri um texto meu com dez anos, a reportagem àquele fantástico concerto do São Luiz, de 20 de Setembro de 1998:

Foi num clima de festa de amigos que decorreu o concerto dos Swell no São Luiz. Logo ao fim do segundo tema, e a convite do vocalista David Freel, cerca de metade da plateia do teatro subiu para o palco e sentou-se no espaço livre que havia entre a linha dos monitores e o início do palco, ficando aí sentada até ao final do concerto como se banda e público fossem amigos de longa data e o que houvesse ali não fosse mais um concerto mas sim um serão entre amigos com muita música e muita conversa à mistura.

O espectáculo do grupo de São Francisco fez lembrar outros grandes concertos de estreia em Lisboa de bandas como os Spain, os Soul Coughing, dEUS, etc. Não no que diz respeito à música propriamente dita mas sim pelo facto de ainda serem projectos relativamente desconhecidos do público em geral e que na altura eram promovidas por uma rádio então extinta. Sim, os Swell também faziam parte dos grupos com forte airplay na Xfm.

David Freel, vocalista e guitarrista, e Monte Valier, baixista, são o "núcleo duro" de um grupo que desde o início do espectáculo rejeitou qualquer ponta de vedetismo, deixando que a música falasse por si. Nem mesmo as próprias luzes do espectáculo iam além de uns sóbrios focos imóveis de luz branca. Ficaram excelentes momentos proporcionados por músicas como "Make Up Your Mind" ou "Oh My My", do último álbum, "For all the Beautiful People" e "Sunshine Everyday", "What I Always Wanted" ou aquele outro tema tocado num dos três encores da noite, com Freel e Valier a solo, em que o jack da guitarra acústica de Freel não estava nas melhores condições, problema o que o próprio resolveu de forma eficiente, puxando o microfone para a boca da guitarra. Ao fim de quase duas horas o público não queria deixar os Swell acabarem o concerto e o grupo já não tinha mais temas ensaiados para tocar (os próprios pareciam estar tão sensibilizados com a recepção que até chegaram a tocar músicas improvisadas, onde não faltou uma cómica referência aos Led Zeppelin...). What a swell party! (*)

(*) Que festa formidável