segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Sangue na guelra

São jovens e hiper-activos. Transbordam de entusiasmo pelo que fazem. Estabelecidos em Rio Maior, essencialmente à volta do pequeno mas acolhedor In A Bar, os Maiorais chegaram ao primeiro ano de existência e fizeram a comemoração no passado sábado com (mais um) concerto dos D3Ö e outro dos The Hypers. Ao longo do último ano, levaram ali Bunnyranch, Fat Freddy, Nicotine's Orchestra, Sean Riley, Los Santeros, The Great Lesbian Show, Green Machine, The Poppers, Born a Lion, entre vários outros. Pode parecer pouco para quem nunca saia de Lisboa ou do Porto, mas o que este grupo de miúdos tem feito na sua terra, mesmo com as semanas passadas na capital a trabalhar ou estudar, é de enorme valor. Colocam Rio Maior no mapa dos concertos. A capital do distrito, Santarém, por exemplo, não consegue oferecer o que o In A Bar e os Maiorais oferecem. E se tanto se fala na crise de associativismo em Portugal, aqui está uma boa prática. E se tanto se fala de escassez de locais fora dos grandes centros com o mínimo de condições e de gente empenhada em criar rotinas de concertos e festas para os públicos locais, que permitam às bandas fazer digressões nacionais, por exemplo, como acontece com os nossos camaradas espanhóis, franceses ou ingleses, eis mais uma boa razão para dar valor a este trabalho. Não são os únicos a fazê-lo, seja-se justo para com todos os outros, mas oxalá mais Maiorais houvesse por esse país fora.