quinta-feira, 27 de Setembro de 2007

Porque será que gostamos dos músicos?

Porque será que gostamos dos músicos? Qual será o poder de uma canção? Talvez provenha da própria estranheza do facto de haver música na Terra. A nota, a escala, o acorde; melodias, harmonias, arranjos; sinfonias, óperas chinesas, jazz, blues: que tais coisas existam, que os homens tenham descoberto os intervalos mágicos que dominam a pequena quantidade de notas que uma mão pode abarcar e com a qual podem construir verdadeiras catredais de som, é um mistério de alquimia, tal como a matemática ou o vinho ou o amor. Talvez tenhamos aprendido com as aves. E talvez não. Talvez nós sejamos criaturas que buscam uma elevação que não temos. As nossas vidas não são o que merecemos, são em muitos casos dolorosamente deficientes. A música transforma-as em qualquer coisa diferente. Mostra-nos o que nós próprios poderíamos ser, se fôssemos dignos desse mundo.
in "O Chão que Ela Pisa / The Ground Beneath Her Feet", Salman Rushdie