quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

O rescaldo

O que dizer do concerto de Marky Ramone & Friends, ontem? Que foi uma festa animada? Foi. Que fez ligação directa com a memória de adolescência de muitos que ali estavam? Os sorrisos rasgados enquanto se cantavam todas as letras de cor são disso testemunha. Que atraiu um número bastante considerável de adolescentes que ainda hoje vão buscar os Ramones e com eles se divertem, como se tudo se estivesse a passar hoje? Sim, atraiu. Mas, por outro lado, o que foi aquilo? Uma lenda do punk americano encostado lá atrás, sem se ver, coadjuvado por dois sucedâneos de punks com eyeliner, daqueles que se vêem nos filmes pipoca para adolescentes americanos, e um vocalista narigudo que levava ao extremo a imitação da pose de Joey Ramone? Estas recuperações do passado que por aí andam em digressão a fazer render o peixe conseguem assumir contornos muito estranhos, por vezes.
(Ah, mais um grande concerto dos Vicious Five, apesar do mau som.)

Espécie de alinhamento:

Rockaway Beach
Teenage Lobotomy (isto já parecia o início do It's Alive)
I Don't Care
Sheena is a punk rocker
Havana Affairs
Commando
Tonight
I Just Want to Have Something to Do
Gimme Gimme Shock Treatment
53rd and 3rd
She's the One
Psycho Therapy
Judy is a Punk
Pet Sematery
The KKK Took My Baby Away
Cretin Hop
Rock'n'Roll High School
I Don't Wanna Walk Around With You

(Bom, depois ainda houve mais uma dúzia de temas, mas, er..., fui pogar... :> sem qualquer ordem, ainda se ouviu, entre vários outros: Pinhead, Today Your Love Tomorrow the World, Oh Oh I Love Her So, Beat on the Brat, Blitzkrieg Bop e a versão horrível de What a Wonderful World para terminar. Se alguém se lembrar do resto do alinhamento que diga qualquer coisa.)