segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Música (actual) na TV

Há dias, na enxurrada de nostalgia que por aqui passou, muito se falou do Pop-Off, o programa produzido pela Latina Europa para a RTP, no início dos anos 90, e do seu papel de charneira na música moderna de então. Foi fundamental, especialmente num contexto em que não havia mais do que o canal estatal (a SIC abriria emissões já na recta final da vida do programa), podendo por aí captar mais facilmente a atenção dos interessados e daqueles que se vieram a interessar, à sua custa, pela música, pelas bandas que então por cá lutavam por visibilidade, pelos espaços e por todas as pequenas coisas que faziam esse complexo e vasto mundo da música em Portugal.
O fim do Pop-Off não significou, apesar de tudo, o fim da música -- ou, se quisermos, para sermos mais certeiros no assunto, daquelas músicas -- na televisão. Logo de seguida, houve o Vira o Vídeo, programa diário de videoclips apresentado por Xana, Henrique Amaro e Zé Pedro, que ajudou muitas bandas a saírem da garagem (os Lulu Blind, por exemplo) ou a saltarem para outro patamar no que diz respeito à atenção do público (os Mão Morta de "Budapeste"). Também com Henrique Amaro e, uma vez mais, na televisão estatal, houve, anos mais tarde, o Spray. Noutros canais, os novos canais de cabo, a produção nacional continuou a ter alguma visibilidade. Ainda recentemente, e novamente na televisão pública, houve um curioso programa (Quilómetro Zero) apresentado por J.P. Simões, em digressão pelas salas de ensaio de bandas espalhadas por esse país fora. Claro que nunca, por uma vez que fosse, se chegou a fazer a tangente ao nível de genialidade e criatividade a que o Pop-Off se elevou, mas será injusto dizer que não houve nada depois daquele.

Servem estas notas para introduzir uma nova aposta da RTP2, o Club Docs. Produzido pelo grupo de realizadores independentes Droid-I.D., em parelha com o Musicbox, o Club Docs vai ser um programa de 50 minutos sobre um artista ou grupo, tendo por base a gravação de um concerto, realizado naquele clube lisboeta, por onde se intercalarão entrevistas, imagens de arquivo e outros conteúdos alusivos ao sujeito de cada emissão. Para já, estão programadas cinco emissões, havendo o desejo de ir mais longe e de tornar o programa regular na grelha da RTP2. Os concertos que servirão de suporte às emissões realizam-se durante este mês e são os seguintes:

11 de Setembro - Nigga Poison
12 de Setembro - Terrakota
17 de Setembro - J.P.Simões
18 de Setembro - Micro Audio Waves
19 de Setembro - X-Wife

Os bilhetes custam 8€ e já estão à venda nos locais habituais.