quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

()

Ainda hoje mesmo, o correio trouxe-me o novo single da dupla inglesa Dan Le Sac vs Scroobius Pip, "Thou Shalt Always Kill". O tema não é novo, mas depois de ter esgotado rapidamente a primeira edição do ano passado (dois anos?), volta agora a sair em 7", com uma versão diferente, com Pos Plug Won, dos De La Soul. Acontece que, por ironia macabra do destino, a letra, que em tempos aqui citei, versa assim:

(...)
Thou shalt not worship pop idols or follow lost prophets.
Thou shalt not take the names of Johnny Cash, Joe Strummer, Johnny Hartman, Desmond Decker, Jim Morrison, Jimi Hendrix or Syd Barret in vain.
(...)
Thou shalt not put musicians and recording artists on ridiculous pedestals no matter how great they are or were.
The Beatles... Were just a band.
Led Zepplin... Just a band.
The Beach Boys... Just a band.
The Sex Pistols... Just a band.
The Clash... Just a band.
(...)
The Next Big Thing.. JUST A BAND.


E agora, com a notícia da morte de Lux Interior, que nunca sequer conheci pessoalmente, reajo quase como se uma pessoa próxima tivesse desaparecido. Irónico, não? Aconteceu quando o Kurt Cobain se suicidou, quando o Joey Ramone morreu no hospital, quando o John Peel morreu no Peru, ... Ajuda o facto de, tirando a efemeridade de Kobain, os outros serem já ídolos -- não vou desprezar a palavra -- desde a adolescência. Mas também é relevante notar que se trata de gente que continuava a fazer o seu trabalho admirável com uma vitalidade impressionante. Não é gente que se tenha vendido com o passar dos anos, não é gente que seja recordada pela memória do que eram há trinta ou quarenta anos (bom, admito que no caso do Joey Ramone o caso mude de figura)...
A Patti Smith tem hoje mais um nome para acrescentar ao seu poema sobre rock'n'rollers desaparecidos.