quinta-feira, 9 de julho de 2015

100 de Sines (até ver), 2: Tom Zé


TOM ZÉ
(Brasil)
Castelo
30 de julho de 2004

"No mundo da música, há as estrelas, que estão lá em cima, intocáveis, com a graça do brilho que dão a uma noite. Mas depois há os meteoros que conseguem, entre outras coisas, mudar o curso dos planetas ou provocar outras reacções com que os cosmógrafos se entretêm a debater. Tom Zé é um destes meteoros que, pelas mais diferentes razões, nunca conseguiu chegar a tanta gente quanto outras estrelas provenientes do Brasil. Foi muito bom na Culturgest, terá sido muito bom em Loulé e na Aula Magna, mas o melhor só pode ter sido mesmo o espectáculo no Castelo de Sines.
(...) As dezenas de pessoas que encheram a capela da Misericórdia para ouvir Tom Zé na sua 'conferência-de-não-conferencista' e os cinco ou seis milhares que assistiram ao seu concerto dificilmente terão abandonado Sines com opinião diferente. Por vezes rimos, por vezes chorámos, por vezes dançámos, por vezes saltámos e a toda a hora fomos levados por um moleque safado de 67 anos. Não há palavras suficientemente justas para Tom Zé, para as suas palavras, para as suas músicas, para a sua banda."