domingo, 22 de dezembro de 2013

De Abelho a Zuca-Truca, uma autoprenda



Talvez desconhecida de muito boa gente, a Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX é um trabalho notável de investigação desenvolvido no Instituto de Etnomusicologia, com apoios da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, da Fundação Calouste Gulbenkian, da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, do Instituto Camões e do (então) Ministério da Cultura, ao longo de mais de dez anos e dado a conhecer ao grande público em 2009, pela Círculo de Leitores. Ao todo, são quatro tomos repletos de entradas (ou verbetes) relativas a pessoas, géneros, meios, instrumentos, espaços, etc., nos mais diversos domínios musicais, da música erudita à música popular, do fado ao rock.

Pode parecer extemporâneo falar de enciclopédias em papel em 2013, quase 2014, mas estes quatro volumes continuam a representar um trabalho único no contexto português. Alguns lembrar-se-ão da "Enciclopédia da Música Ligeira", uma obra de alcance mais reduzido, editada em 1998, também pela Círculo de Leitores, que rapidamente desapareceu dos escaparates (nem a própria editora conseguia responder aos apelos daqueles que, como eu, lutaram em vão por encontrar um exemplar).

A enciclopédia anda por aí a ser vendida nas feiras de fundos de catálogo (aquelas que, pelo menos em Lisboa, se encontram instaladas em várias estações de Metro ou em áreas de maior circulação de pessoas). Este exemplar, por exemplo, veio da Gare do Oriente. Doze euros cada volume. É D'APROVEITAR, Ó FREGUESIA.