sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Até sempre, Sardinha

Morreu esta manhã Eduardo Sardinha.

A notícia acabou de chegar aos meus olhos neste momento. O choque é impossível de descrever e as razões para o sucedido desconheço-as. Só sei que o Sardinha era novo demais para desaparecer.

Conheci o Sardinha por volta de 1998, quando se ofereceu para ser o correspondente nortenho da Musicnet, que então eu dirigia. Desde essa altura e até ao fim do projeto, construímos cumplicidades e uma amizade fortíssima. Cada vez que ia ao Porto, encontrava um amigo que parecia conhecer desde sempre, um amigo que me recebia como poucos. Havia um respeito mútuo notável. E se o Sardinha era assim no conhaque, nem sei se vos consigo dizer como era no trabalho. Apesar de receber tuta e meia para fazer reportagens de vez em quando, ele era, de todos os colaboradores da casa, o verdadeiro jornalista, aquele que estava sempre atento à notícia, aquele que sabia o boato antes de ser boato, aquele que confirmava o boato antes de este já ser notícia por todo o lado. Desde o fim do projeto, afastámo-nos, Eduardo, e fui sentindo pena disso ao longo dos anos, mas que queres, é a vida, e a vida está sempre a andar para a frente. Até que pára, como agora parou para ti... Cedo demais.

Até sempre, meu amigo.

(Tem sido um ano difícil, este. Da família, dos amigos, as pessoas vão-me desaparecendo.)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

20 000 dias já em exibição

(Fotografia confortavelmente surripiada ao camarada Dinis.)

Lisboa, Cinema Nimas (todos os dias, 13h45, 15h45, 17h45, 19h45 e 21h45)
Porto, Teatro do Campo Alegre (dias úteis, 18h30 e 22h; fim de semana, 15h30, 18h30 e 22h)
Almada, Academia Almadense
(Informação do Cinecartaz)

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Lisboa, hoje: Sona Jobarteh e Gala Drop

Hoje há duas propostas a não perder para quem vive por Lisboa e arredores. Ao CCB chega-nos Sona Jobarteh, a primeira intérprete feminina da kora, a harpa da África Ocidental. No B.Leza, os nossos Gala Drop apresentam o seu segundo álbum, "II".

Sona Jobarteh, nascida em Londres e de ascendência gambiana, provem de uma das cinco principais famílias griot associadas ao longo de séculos à interpretação da kora. Curiosamente, é prima de Toumani Diabaté, o mais conhecido e talvez o mais virtuoso dos intérpretes daquele instrumento, conforme já tivemos a oportunidade de testemunhar nas várias vezes que nos visitou. Sona, que teve formação clássica de nível superior, é a primeira mulher a pegar num instrumento de homens. Colaborou em filmes e com vários músicos (Damon Albarn, claro, é um deles) e apresenta-se agora a solo, passando por Lisboa para fazer a primeira parte do concerto da brasileira Patrícia Bastos, por ocasião do Misty Fest. Será no pequeno auditório do CCB e está integrado na programação do Misty Fest. O espetáculo começa às 21h e as entradas custam 15 euros.



No B.Leza, os Gala Drop apresentam o álbum "II". Vai haver primeira parte do Coclea, que começará por volta das 22h00. As entradas custam 9,99€ ou 14,99€, e incluem o CD ou o LP, respetivamente, dos Gala Drop. Sábado será a vez da apresentação no Porto, no Plano B.

galadrop.bandcamp.com/album/ii