terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Mais uma compilação



Contribuições:
Shocking Blue "Love Buzz" (Países Baixos, 1969)
Tartit "Houmeissa" (Mali, 2006)
Faiz Ali Faiz "Mera Piya Ghar Aya" (Paquistão, 2002)
CAN "Chain Reaction" (Alemanha, 1974)
David Bowie "Waiting for the Man" (Inglaterra, 1972)
Lee Perry "Inspector Gadget 2004" (Jamaica, 2004)
The Mods "Spring Dance" (Paquistão, 1968?)
Dirty Projectors "Hyperballad" (EUA, 2008)
Opiyo Bilongo & Bilongo Golden Stars "Yuak Debe Sauti Moja" (Quénia, 2006)
43'24" / 99,3MB
Fica já o aviso de que a fidelidade sonora não é das melhores em certas partes...

Disponível aqui ou aqui.

segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Ontem

Pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá falta o ar falta o ar pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá oxigénio oxigénio pá pum pá pá pum pá pá pum pá pá pum pá!

sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

E, claro, ...

Lightning Bolt esgotou novamente, mesmo após a passagem para o espaço do Parque Subterrâneo do largo Camões. Para quem tem reserva, deve levantá-la até amanhã na ZDB (horários - hoje, até ao final do concerto da Tara Jane O'Neil; amanhã, das 14h30 às 23h).

quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

E depois ainda há as festas

Hoje há 2manydjs e Dezperados no Lux. No sábado, além de mais uma festa do Vespa Gang Mod Club com discos do Professor X (o Xavier) e do Milkshake (o Futre), há também a enorme festa de aniversário de Madame, a manager do Rui da Silva e dos Stereo Addiction, que se realiza ali para os lados do Beato. Entre as 23h e as 00h30, vai por lá estar o Bailarico Sofisticado e, depois, o Cabaret Madame passa para as mãos dos Banana Split (Macacos do Chinês em versão DJ) e dos Stereo Addiction.
(E ainda há o Open Day do Lx Factory, sexta e sábado.)

Fim-de-semana repleto de música ao vivo

Algumas recomendações para o fim-de-semana:

Quinta-feira
Começa hoje, às 23h, o ciclo de concertos do festival de cinema Periférico 08, no cinema São Jorge. A abrir, Estilhaços. Ou seja, Adolfo Luxúria Canibal na leitura de alguns dos seus textos reunidos na colectânea "Estilhaços" e António Rafael, outro Mão Morta, a contribuir com a base sonora. Altamente recomendável, tendo em conta as memórias de há quase três anos (foi até um dos meus espectáculos preferidos nesse ano). Os californianos Swell regressam ao nosso país, onde começam hoje uma mini-digressão de quatro datas. O Mercado Negro, em Aveiro, é quem os recebe primeiro. A eles e ainda a Tara Jane O'Neil e aos portugueses Noiserv.

Sexta-feira
Adolfo e Rafael seguem para Norte e juntam-se aos restantes Mão Morta, porque este dia marca o início de mais uma série de concertos do grupo, entretanto baptizada de "Tour Ventos Animais". Para trás ficou "Maldoror", volta agora o longo reportório a rasgar. Vai ser em Barcelos, no novo auditório montado na antiga e famosa Casa Amarela, e está integrado no festival Subscuta. Por Lisboa, o Periférico continua com Legendary Tiger Man. Os Swell sobem ao Porto, para um concerto no Armazém do Chá DESLOCAM-SE A COIMBRA, enquanto a Tara Jane O'Neil desce à capital para dar um concerto na ZDB, onde também estará presente Tom Greenwood, dos Jackie-O Motherfucker.

Sábado
Enquanto os Swell vão a Coimbra ATÉ AO PORTO, a Lisboa deslocam-se os conimbricenses Sean Riley and The Slowriders para mais uma noite do Periférico. Também por Lisboa, no Musicbox, os Hipnótica e os Loto dão por terminada a digressão que vieram a realizar em conjunto pelo país. Em Leiria, há mais uma proposta Fade In, com espectáculos das inglesas Bela Emerson e Lianne Hall, no Orfeão Velho. Em Portalegre, no Centro de Artes do Espectáculo (onde mais?), há Norberto Lobo.

Domingo
E aqui está o grande dia para os lisboetas, com um dos concertos mais esperados dos últimos cinco anos. Lightning Bolt finalmente, porra (as gentes do Norte vão poder vê-los em Vigo, no dia seguinte, mas num auditório). No piso -5 do parque de estacionamento subterrâneo do largo Camões, as hostilidades são abertas pela holandesa Christelle Gualdi, dita Stellar Om Source. Pouco depois, atacam os Lightning Bolt. Atenção às horas, portanto, já que não vai haver atrasos e tudo vai acabar relativamente cedo. Mais tarde, no Lounge, actuam os Swell. Entrada gratuita para outro concerto imperdível neste domingo (e vai dar para conciliar LB com Swell). Voltando atrás, há também Kubik no São Jorge, no âmbito do Periférico, em concerto-filme especialmente marcado para as 19h30 (tudo quer ver os Lightning Bolt, pois claro).

terça-feira, 18 de Novembro de 2008

Jóhann Jóhannsson



Entre o final dos anos 90 e o dealbar deste novo século, a editora islandesa Kitchen Motors lançou três discos que serviram de documento ao ponto principal do seu manifesto, a criação de espaços comuns a artistas provenientes de diferentes backgrounds, islandeses na sua maioria. Estes discos, autênticos testemunhos de genialidade na improvisação, ganharam o nome "Motorlab" e reuniram projectos como os Stilluppsteypa, Múm, Apparat Organ Quartet, Barry Adamson e Pan Sonic, entre muitos outros. Há um nome que é transversal às três edições: Jóhann Jóhannsson. No Motorlab #1, trabalhou com Hilmar Jensson, Úlfar Haraldsson e o ensemble de jovens músicos Caput. No Motorlab #2, fazia (e ainda faz) parte integrante dos magníficos Apparat Organ Quartet (se não conhecem, façam o favor de ouvir imediatamente este projecto). Finalmente, em Motorlab #3, ajudou a misturar a peça "The Hymn of the 7th Illusion", composta entre Barry Adamson e Pan Sonic.
Ora, vem a propósito dizer que Jóhann Jóhannsson tem álbum a solo recente, "Fordlândia", o primeiro a sair com selo 4AD, que deve ser ouvido com toda a urgência por quem ficou com a Islândia nos ouvidos desde o final dos anos 90. Como seria de esperar, até pelo próprio contexto estético dos Motorlabs, "Fordlândia" remete para paisagens sonoras com tanto de electrónica como de música de câmara, lembrando, claro, os Sigur Rós e tantos outros projectos que se destacaram na ilha nórdica há cerca de uma década. É uma bela banda sonora para se atingir a estratosfera enquanto o diabo esfrega o olho.

CORRECÇÃO: Não é o primeiro álbum de Jóhannsson pela 4AD, mas sim o segundo. "Fordlândia" é, aliás, o segundo de uma trilogia baseada em tecnologia e em nomes de marcas históricas norte-americanas. A 4AD já havia lançado "IBM 1401, A User's Manual" em 2006. Obrigado pela atenção, Jorge Pinho.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2008

Lightning Bolt no parque de estacionamento!

Os espectáculos de Lightning Bolt e Steller Om Source já não vão, afinal, realizar-se no aquário da ZDB, tendo mudado para... o piso -5 do parque de estacionamento subterrâneo do largo Camões!

A ZDB informa ainda que as reservas devem ser levantadas na rua da Barroca, na quarta, quinta e sexta (depois das 19h00) ou sábado (depois das 14h00).

Entretanto, a mudança para o novo espaço leva a que um concerto que estava esgotado venha a ter novamente bilhetes à venda, pois a lotação é agora maior. A partir de amanhã, vai então haver mais bilhetes à venda na Ananana, na Louie Louie e na Flur.

What a swell party

Ainda a propósito dos Swell, descobri um texto meu com dez anos, a reportagem àquele fantástico concerto do São Luiz, de 20 de Setembro de 1998:

Foi num clima de festa de amigos que decorreu o concerto dos Swell no São Luiz. Logo ao fim do segundo tema, e a convite do vocalista David Freel, cerca de metade da plateia do teatro subiu para o palco e sentou-se no espaço livre que havia entre a linha dos monitores e o início do palco, ficando aí sentada até ao final do concerto como se banda e público fossem amigos de longa data e o que houvesse ali não fosse mais um concerto mas sim um serão entre amigos com muita música e muita conversa à mistura.

O espectáculo do grupo de São Francisco fez lembrar outros grandes concertos de estreia em Lisboa de bandas como os Spain, os Soul Coughing, dEUS, etc. Não no que diz respeito à música propriamente dita mas sim pelo facto de ainda serem projectos relativamente desconhecidos do público em geral e que na altura eram promovidas por uma rádio então extinta. Sim, os Swell também faziam parte dos grupos com forte airplay na Xfm.

David Freel, vocalista e guitarrista, e Monte Valier, baixista, são o "núcleo duro" de um grupo que desde o início do espectáculo rejeitou qualquer ponta de vedetismo, deixando que a música falasse por si. Nem mesmo as próprias luzes do espectáculo iam além de uns sóbrios focos imóveis de luz branca. Ficaram excelentes momentos proporcionados por músicas como "Make Up Your Mind" ou "Oh My My", do último álbum, "For all the Beautiful People" e "Sunshine Everyday", "What I Always Wanted" ou aquele outro tema tocado num dos três encores da noite, com Freel e Valier a solo, em que o jack da guitarra acústica de Freel não estava nas melhores condições, problema o que o próprio resolveu de forma eficiente, puxando o microfone para a boca da guitarra. Ao fim de quase duas horas o público não queria deixar os Swell acabarem o concerto e o grupo já não tinha mais temas ensaiados para tocar (os próprios pareciam estar tão sensibilizados com a recepção que até chegaram a tocar músicas improvisadas, onde não faltou uma cómica referência aos Led Zeppelin...). What a swell party! (*)

(*) Que festa formidável

Por falar em sobreposição de espectáculos... (parte II)

Depois disto (e ainda não me conformei que para ver os Beach House -- concerto magnífico, a propósito -- tive de perder os Radar Bros. no Lounge), chega a notícia de mais uma sobreposição domingueira.
Poderão dizer, e com alguma razão, que os públicos são diferentes. Poderão dizer que esta novidade já cá veio uma série de vezes, ao São Luiz, ao Garage, ao T-99 no Jamor... Mas, caramba. Eu gostava de rever os Swell, mesmo que pela quarta vez, no dia 23 de Novembro, no Lounge, mas claro que não vou perder os Lightning Bolt na ZDB. Irra, que já chateia.

(Os Swell têm uma mini-digressão agendada para Portugal, começando a dia 20 no Mercado Negro, em Aveiro, passando no dia seguinte pelo Armazém do Chá, no Porto, a 22 por Coimbra, em local a anunciar, e terminando a 23 no Lounge, em Lisboa.)

quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Pontiak

Ok, a Thrill Jockey já nos havia dado os Trans Am. Agora, temos os... Pontiak (!). Três irmãos de Virginia. Embora não trazendo novidade nenhuma ao mundo, soam tão bem...


Have You Heard Session: Pontiak from HaveYouHeard on Vimeo.

"Periférico 08" com Estilhaços, Kubik, Tigerman e outros no São Jorge

O cinema São Jorge prepara-se para receber mais um festival de cinema, o "Periférico 08", que ocupará aquele espaço nos dias 20 a 23 de Novembro próximos. No evento serão apresentados não só produções da própria promotora do evento, a Periferia Filmes, mas também outros filmes independentes que não tenham chegado ao nosso circuito comercial. Além das estreias de filmes de Edgar Pêra, João Canijo, Rodrigo Areias e outros, o Perifério 08 vai também contar com vários concertos:

QUINTA, 20 NOV. 23h00
ADOLFO LUXÚRIA CANIBAL + ANTÓNIO RAFAEL - "ESTILHAÇOS"
A banda sonora de "O Coveiro", de André Gil Mata, e de "Cronos", de Rodrigo Areias, contam com a voz de Adolfo Luxúria Canibal e serão editadas em 2009 em formato de 10" com selo conjunto entre Periferia Filmes e Subotnick. "O Coveiro" conta ainda com música dos Dead Combo.

SEXTA, 21 NOV.23h00
THE LEGENDARY TIGER MAN
O concerto servirá também para o lançamento do novo disco, a banda sonora de "Tebas", de Rodrigo Areias, em formato de 10" (edição Periferia Filmes / Subotnick Enterprises).

SÁBADO, 22 NOV. 23h00
SEAN RILEY & THE SLOWRIDERS
O grupo apresenta a banda sonora de "Corrente", de Rodrigo Areias, que também será editado em 10" no próximo ano.

DOMINGO, 23 NOV. 19h30
KUBIK – "A FELICIDADE" DE ALEKSANDRE MEDVEDKINE
Kubik em Lisboa (boa!), para apresentar um cine-concerto: Victor Afonso vai dar sons ao filme a "A Felicidade" do realizador russo Aleksandr Medvedkine (1900-89).

Mogwai em Fevereiro

MOGWAI NA AULA MAGNA STOP DIA 5 DE FEVEREIRO STOP ANFITEATRO 22 EUROS STOP DOUTORAIS 30 EUROS STOP PRODUÇÃO EVERYTHING IS NEW STOP

quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Recuperação da noite



Aphex Twin "Alberto Balsam"

Há mais de dez anos, este tema brincava com os meus neurónios. E não era o único. "Ventolin" é, até hoje, o meu tema fétiche da electrónica dos anos 90 (e o meu mau trato aos ouvidos preferido...). Havia o divertido "Donkey Rhubarb" e outros mais, sob a designação de Caustic Window, AFX, Aphex Twin, etc. Já mais tarde vieram "Windowlicker" e "Comme to Daddy", com dois magníficos vídeos do Chris Cunningham. Nada maus estes anos 90, agora que me lembro.

Imagens históricas #9



The Smiths, Salford Lads Club, Dezembro de 1985
Autor: Stephen Wright

Esta, que é provavelmente a imagem mais famosa dos Smiths, foi usada para o interior do álbum "The Queen is Dead", e, à sua custa, o Salford Lads Club -- um clube de rapazes (e raparigas) de Salford, na área metropolitana de Manchester, onde os Hollies chegaram a ensaiar, curiosamente -- tornou-se mesmo num local de "peregrinação" de fãs da banda. A fotografia de Stephen Wright reside hoje na Manchester Art Gallery e faz parte da colecção da National Portrait Gallery.

Asian Dub Foundation no Santiago Alquimista



A 16 de Dezembro, os Asian Dub Foundation regressam a Lisboa, para um concerto no Santiago Alquimista. Bilhetes à venda a 25 euros.

terça-feira, 11 de Novembro de 2008

As iBatalhas

Nunca ouvi falar de tal coisa por cá, mas parece que rebentou noutras cidades mundiais o fenómeno das iPod Battles: em duas ou três palavras, as pessoas levam os leitores de mp3 para os clubes e entram numa espécie de concurso pela melhor animação da noite. A Laura Alves fez um especial para o Mundo Universitário, a partir da opinião de algumas pessoas, entre as quais este vosso escriba, que pode ser lido aqui ou aqui (jornal completo, em formato pdf)

Compilação!



É favor descarregar aqui ou aqui.

Contribuições: UFO, LCD Soundsystem, The Dutchess and the Duke, The Puppini Sisters, Zaiko Langa Langa, Pablo Lubadika "Porthos" (*), Zengo+Kapangala+Mimi+Lipanda, José Afonso.

(*) Já agora, é o senhor que aparece no flyer do Bailarico da próxima sexta.

sexta-feira, 7 de Novembro de 2008

Jandek em Janeiro... em Serralves!

Uma pessoa vai ver a que horas começa a série de concertos na Caixa Económica Operária, mais logo, e dá de caras com esta notícia no site da Filho Único: o historicamente recatado Jandek tem concerto agendado para a Fundação de Serralves, a 10 de Janeiro. Na véspera, há exibição do documentário "Jandek on Corwood". Os bilhetes para o concerto custam 15 euros.

A aflição

Tenta uma pessoa explicar a outra, que não aprecie música mais do que aquilo que se possa convencionar como normal, a angústia em que se encontra por ter perdido quase uma centena de CDs. Ainda para mais, discos absolutamente essenciais. Não o consegue explicar. Nem a angústia, nem a aflição que se sente ao esperar por um telefonema que confirme ou não a perda definitiva daquele património. É pelo dinheiro? Não, não é pelo dinheiro. Não o conseguimos explicar. Mais, corremos o risco de passar a ser observados, se é que já não o éramos, como se num planeta diferente houvéssemos sido criados. Enfim, não é preciso levar todo este melodrama ao limite das personagens do Nick Hornby, mas é um desconsolo enorme.
Esta história, porém, é das que acabam bem. Penso nos desgraçados DJs que me contam dos casos, bastante frequentes até, em que foram vítimas de assalto. Para esses não há finais felizes. Neste há e à angústia segue-se uma alegria desmedida. A agência de aluguer de automóveis confirmou-me que encontraram a bolsa dos CDs. Haja alegria na Terra e paz entre os povos.

quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

Por falar em sobreposição de espectáculos...

Nem era preciso haver o festival de Dezembro a forçar o conceito. Ele já acontece por razões naturais:

Por exemplo, na sexta-feira, como é que alguém que goste de ver um bom intérprete de guitarra dedilhada, na escola do "primitivismo americano" de Fahey, vai decidir entre o Ben Chasny, dito Six Organs of Admittance, na Caixa Económica Operária, ou o miúdo maravilha inglês James Blackshaw, na ZDB? Bom, no primeiro caso, há sempre a hipótese de ver a estreia dos Wooden Shjips ou o regresso dos Sic Alps, assim como na segunda há o bónus dos portugueses München. A escolha não é fácil e ainda por cima invalida a deslocação ao Musicbox para rever o one-man-band [D-66] e os barreirenses Act-Ups, naquela que será a noite de apresentação do Barreiro Rocks. Se quisermos ser quadrados o suficiente, diríamos que não é exactamente o mesmo tipo de público... Ou é?

Avancemos uma semana e dois dias, para chegar ao Domingo, 16. No Lounge, há Radar Bros. No Maxime, há Beach House e Jana Hunter. Ok, dois nomes importantes do slowcore dos últimos anos e só vamos poder ver um. A entrada é gratuita no caso dos Radar Bros. Boa. Mas os Beach House até chamam mais e vêm acompanhados da Jana Hunter. E agora? E é um domingo, senhores.

terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Walkmen, Santogold, Lykke Li, Jack Rose e outros numa espécie de SXSW para lisboeta ver

Nos próximos dias 3 e 4 de Dezembro, o São Jorge, o Maxime, o Teatro Variedades e o Tivoli vão servir de palco a um festival que pretende ser uma adaptação (erm... é o que eles dizem) da ideia do SXSW de Austin, nos EUA, com concertos a acontecerem à mesma hora e com o público baralhado (ou não) para saber o que vai ver. É a este festival que vem a sueca Lykke Li, afinal, mas não só: também Santogold, Walkmen, Jack Rose, e portugueses como os Deolinda, Norberto Lobo e Rui Reininho, entre outros, vão estar nestas duas noites de espectáculos sobrepostos sem aparente necessidade com que a cervejeira do costume pretende chamar a atenção para a sua marca. Eis os nomes já confirmados, conforme divulgado pelo Blitz:

3 de Dezembro
Maxime : A Fine Frenzy, El Perro del Mar
Tivoli : José James, Santogold
São Jorge : Ladyhawke, Rui Reininho
Sala 2 do São Jorge : doismileoito, Os Pontos Negros
Teatro Variedades : Caravan Palace, Guys From The Caravan, Tanya Stephens

4 de Dezembro
Maxime : Norberto Lobo + Jack Rose, The Profilers
Tivoli : The Walkmen, Marcelo Camelo
São Jorge : Phoebe, Deolinda
Sala 2 : Peixe : Avião. João Coração
Teatro Variedades : Lykke Li, Zita Swoon - A Band In A Box, X-Wife

Ora, adeuzinho, pá

sábado, 1 de Novembro de 2008

Tour "Ventos Animais"

Depois de "Maldoror", os Mão Morta estão de volta ao reportório rock com mais de vinte anos. Para já, estão confirmadas as próximas datas para a tour "Ventos Animais":

21 de Novembro (22h) - Barcelos, Auditório S. Bento Menni (Festival Subscuta / Bilhetes: 10€)
28 de Novembro - Montijo, Parque de Exposições (FestiRock 08)
19 de Dezembro (21h30)- Sesimbra, Cine Teatro João Mota
17 de Março - Portalegre, Centro de Artes do Espectáculo