sexta-feira, 28 de Setembro de 2007

Abertura total, de novo #2

(Continuação da entrevista a Alexander Hacke, dos Einstürzende Neubauten, a propósito do novo álbum, "Alles Wieder Offen".)

Q2. Levaram cerca de 200 dias a gravar este disco. Não é muito tempo?

ALEX HACKE: Até foi muito rápido, tendo em conta que antes de começarmos estes projectos exclusivos para os "supporters", os Neubauten produziam discos em períodos que nunca eram inferiores a dois anos, em média. Ao longo destes duzentos dias, gravámos, na verdade, dez álbuns. Este de que estamos a falar, oito edições da série "Musterhaus" e quinze das chamadas "Jewels", que serão editadas em CD no próximo ano.

quinta-feira, 27 de Setembro de 2007

Porque será que gostamos dos músicos?

Porque será que gostamos dos músicos? Qual será o poder de uma canção? Talvez provenha da própria estranheza do facto de haver música na Terra. A nota, a escala, o acorde; melodias, harmonias, arranjos; sinfonias, óperas chinesas, jazz, blues: que tais coisas existam, que os homens tenham descoberto os intervalos mágicos que dominam a pequena quantidade de notas que uma mão pode abarcar e com a qual podem construir verdadeiras catredais de som, é um mistério de alquimia, tal como a matemática ou o vinho ou o amor. Talvez tenhamos aprendido com as aves. E talvez não. Talvez nós sejamos criaturas que buscam uma elevação que não temos. As nossas vidas não são o que merecemos, são em muitos casos dolorosamente deficientes. A música transforma-as em qualquer coisa diferente. Mostra-nos o que nós próprios poderíamos ser, se fôssemos dignos desse mundo.
in "O Chão que Ela Pisa / The Ground Beneath Her Feet", Salman Rushdie

Hoje à noite, na Zê



PSYCHIC ILLS "Another Day Another Night" (videoclip)

Já passaram ontem pelo Porto e hoje é a vez do aquário da ZDB, onde estarão também os "nossos" Caveira. Alguém pediu My Bloody Valentine, Jesus & Mary Chain, Spacemen 3, Spiritualized? A partir das 23h, com entradas a €8 para não-sócios.

quarta-feira, 26 de Setembro de 2007

Abertura total, de novo #1

"Alles Wieder Offen", que é como quem diz "tudo aberto, de novo", é o título do mais recente álbum dos alemães Einstürzende Neubauten, que deverá chegar às lojas a 19 de Outubro. Nos três anos que o separam de "Perpetuum Mobile", muito aconteceu na história do grupo. Mais de dez discos foram lançados exclusivamente para o clube restrito dos "supporters" que têm contribuído financeiramente para a independência do grupo da tradicional indústria discográfica. O disco de regresso, por assim dizer, ao grande público, é mais um sinal da independência adquirida pelos Neubauten: o selo é da Potomak, editora constituída pelos próprios. É um belíssimo disco. E a digressão vem a seguir. Preparem-se.

Ao longo dos próximos dias, deixarei as respostas de Alexander Hacke, um dos Neubauten, às perguntas que lhe fiz.



Q1. Este disco parece dar um passo em frente no processo de maturação dos Einstürzende Neubauten, tal como se tem visto desde "Silence is Sexy" ou, indo mais longe, desde "Tabula Rasa". É um disco Einstürzende Neubauten, não haja dúvida, mas parece ter mais instrumentos convencionais, a voz do Blixa soa ainda mais suave e todos os arranjos parecem estar perfeitos. Faz isto algum sentido para si? Discutiram isto no processo de composição, gravação e mistura do disco?

ALEX HACKE: Estou contente por saber que existe alguma espécie aparente e reconhecível de progresso. Nós apenas trabalhamos com todas as ferramentas disponíveis para criar a música que entendemos. Desta vez, não aplicámos nenhuma forma conceptual como no "Perpetuum Mobile", onde o tema era o ar, a perspectiva dos pássaros, viagens e assim. Apenas tentámos fazer a música que gostamos de ouvir. O resultado é um álbum muito pessoal, que leva em linha de conta e acarinha a nossa história enquanto um grupo de indivíduos que passaram a maior parte das suas vidas juntos.

Acorda Lisboa!

Numa época em que tanto acontece ao mesmo tempo como aquela em que vivemos, faz falta algo que nos sirva de guia. Se uns começavam a andar desorientados, outros até são capazes de ignorar, ora por desconhecimento genuíno, ora por comodismo, que uma cidade como Lisboa tem dezenas de concertos, exposições ou peças de teatro a acontecerem todos os dias, ou que há recantos escondidos onde se pode provar o pão-de-ló japonês ou comprar objectos de outros tempos, por exemplo. É preciso um guia. É certo que alguns jornais e revistas têm vindo a procurar cumprir esse papel, de forma mais ou menos fragmentada. E que há outros projectos interessantes, como o LeCool, que têm ajudado os indies lisboetas nas suas saídas. Mas hoje apareceu nas bancas aquilo que realmente era preciso. Uma revista que é uma agenda do princípio ao fim, uma Time Out dedicada a Lisboa.
Tem lá de quase tudo o que é preciso saber para pôr o pé na rua. O que ver, o que ouvir, o que sentir. Ora conduz o leitor para um conjunto de opções recomendadas, ora lhe dá a liberdade para escolher o que fazer entre listagens imensas de acontecimentos. E não se limita às habituais agendas culturais, dando também conta, semanalmente, de pequenas coisas que por vezes não conhecemos e que estão aqui mesmo ao lado, como acontece neste número com as "101 razões para adorar esta cidade". Oxalá os próximos números consigam manter o nível deste arranque. Só fica mesmo a faltar a versão inglesa, para que o cada vez maior número de turistas que nos visita saiba também o que pode encontrar por esta cidade fora.

terça-feira, 25 de Setembro de 2007

O tributo aos Mão Morta

E SE DEPOIS...

01. Dead Combo – Aum
02. WrayGunn – E se depois
03. CineMuerte – Chabala
04. Dr.Frankenstein – Anjos Marotos/Marraquexe (Pç. das Moscas Mortas)
05. The Temple – Budapeste (Sempre a Rock & Rollar)
06. Bunnyranch – As tetas da alienação
07. Balla – Oub’lá
08. Volstad – É um jogo
09. Houdini Blues – Charles Manson
10. [f.e.v.e.r.] – Vamos fugir
11. D’Evil Leech Project – Cão da Morte
12. The Ultimate Architects – Bófia
13. Acromaníacos – Revi a malvada prima
14. Demon Dagger – Anarquista Duval
15. Mécanosphère – Istambul (um grito)
16. TwentyInchBurial – Em directo (para a teelvisão)

Se não chegou ainda, deve estar prestes a aparecer nos escaparates das lojas. Já está disponível no site da editora.

segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

Atlantic Waves 2007

A secção londrina da Fundação Calouste Gulbenkian prepara-se para levar a cabo mais uma edição do Atlantic Waves, que uma vez mais colocará um alargado naipe de artistas da lusofonia e não só em diversos palcos da capital inglesa. Este ano, o festival desenrola-se entre 1 e 11 de Novembro e o cartaz divide-se por diferentes áreas temáticas. Assim, e com maior destaque, o Queen Elizabeth Hall vai receber a noite das fadistas logo ao primeiro dia, com a presença de Beatriz da Conceição, Maria da Fé, Mafalda Arnauth, Aldina Duarte, Joana Amendoeira e Raquel Tavares. No segundo dia, é a vez dos homens à guitarra, na igreja St. Giles Cripplegate: António Chaínho, Custódio Castelo e Ricardo Parreira. Na discoteca Cargo, tocam a dia 6 os Mau Mau, Mixhell e Stereo Addiction. No dia 7, no mesmo local, ocorre a noite mais virada para o techno, com Anderson Noise, Zentex e Pixel 82. No dia 8, ainda no Cargo, os modernos sons de bairro, com DJ Marlboro, Frederick Galliano Kuduro Soundsystem, Macacos do Chinês e a exibição do documentário "Lusophony, the (R)Evolution". Os três últimos dias do festival, patrocinados pela revista The Wire, decorrem no Institute of Contemporary Arts, e são especialmente dedicados a três editoras portuguesas, a Grain of Sound, a Cronica e a Sirr, que ali levarão um conjunto alargado de artistas.
Para mais informações, é favor visitar o site oficial do Atlantic Waves.

Disco do Maldoror

Ainda este ano, provavelmente.

sábado, 22 de Setembro de 2007

O Outubro da fartura ou o Mali também vai marcar presença

Já se sabia que Outubro ia ser um mês difícil, com propostas imperdíveis a decorrerem a um ritmo quase diário, particularmente na segunda quinzena. A última novidade (e que grande novidade) prende-se com a vinda de Vieux Farka Touré, o filho do falecido Ali Farka Touré, e o regresso dos sempre bem-vindos Tinariwen. É o Luís Rei que dá conta da notícia nas suas Crónicas da Terra. Os malianos deslocam-se a Portugal para concertos em Leiria, no teatro José Lúcio da Silva, e em Lisboa, no CCB, nos dias 18 e 19 de Outubro, respectivamente.

sexta-feira, 21 de Setembro de 2007

Já há cartaz para o Barreiro Rocks!

Já é conhecido o elenco da edição deste ano do festival Barreiro Rocks. As guitarras vão outra vez fazer estardalhaço pelo pavilhão do Grupo Desportivo dos Ferroviários. Os bilhetes custam €15 (um dia) e €20 (dois dias). Black Lips, yeaaahhhhh!

9 de Novembro

01h00 The Maharajas
00h00 Samesugas
23h00 The Hipshakes
22h00 Born a Lion

After hours Pachuco:
Rob K & Uncle Butcher
Tracy Lee Summer
The Wonderland Club

10 de Novembro

01h00 The Black Lips
00h00 The Mojomatics
23h00 Green Machine
22h00 3 Delícias

After hours Pachuco:
Los Chicos
The Act-Ups
DJ Shimmy

quinta-feira, 20 de Setembro de 2007

Estrangeirada no Lounge

É extenso o cartaz de grupos estrangeiros a tocarem no Lounge, no Cais do Sodré, nos próximos meses:

Outubro
5 - D66 (Venezuela) + Urban Junior (Suíça)
13 - Delco (Espanha)
19 - Kap Bambino (França)
31 - Loser Superhero (Espanha)

Novembro
1 - Holmes (Suécia)
2 - Heligoland (Austrália)
17 - Leader's Off (Suécia)

Dezembro
1 - Aviator Lane (Austrália)

Música a mais?

Há dois ou três dias, o músico e compositor António Pinho Vargas, num momento da entrevista ao Pessoal e Transmissível, da TSF, recordava um episódio vivido na Dinamarca, num parque de diversões onde não se ouvia qualquer música. Servia este exemplo para demonstrar o excesso de música com que, por cá, somos habitualmente bombardeados. Foi mais longe ainda, ao defender a tese de que se sente uma necessidade permanente de sermos entretidos e de, mais grave, não pensarmos. Ao princípio, e porque somos sempre levados a ir buscar a nossa própria experiência, não concordei em absoluto com a tese. Afinal, não sendo nenhum Sherlock Holmes, cujo raciocínio dedutivo vencia os obstáculos mais difíceis enquanto ia tocando violino, sempre preferi também estudar e trabalhar ao som de música. Mas, na verdade, há aí uma grande diferença, tal como no próprio Sherlock Holmes. A música que oiço enquanto analiso uma tabela de dados, enquanto procuro as palavras mais adequadas para exprimir uma ideia, enquanto resolvo um kakuro, enquanto tento decifrar o mistério do Lost, enquanto, enfim, ponho os neurónios solitários a jogarem paint-ball uns com os outros, é escolhida por mim. Não estou a ser invadido pelas escolhas de outrem. Entretenho-me a mim próprio, por pior que isto soe. O António Pinho Vargas, que falava de um outro fenómeno, tocou mesmo num ponto essencial, afinal. Há por aí música a mais.

quarta-feira, 19 de Setembro de 2007

Attenzione!

É só para avisar que hoje há Anonima Nuvolari naquele que será certamente um dos melhores locais de Lisboa para os receber, as Catacumbas do Bairro Alto.

segunda-feira, 17 de Setembro de 2007

Song to the Siren pelos Hipnótica



Aqui há uns tempos, por ocasião da apresentação ao vivo do mais recente álbum dos portugueses Hipnótica, "New Communities For Better Days", falei da surpreendente versão do "Song to the Siren", original de Tim Buckley, com que o concerto terminou. Ora aqui está o youtubo que faltava para documentar convenientemente a ocasião. Sublime.

Instrumentos roubados

A sala onde ensaiam os Cool Hipnoise e o Sam the Kid foi assaltada entre a madrugada de sábado e o meio-dia de hoje. A Francisco Rebelo desapareceram dois baixos e duas guitarras, que a seguir se descrevem, para o caso de alguém os encontrar por aí à venda:

Baixo WARWICK Streamer Double Buck $$ 5 strings (Madeira natural, hardware dourado, adquirido em Julho de 2007, gig bag preto)
Baixo EPIPHONE EVB1 – Viola (Natural Sunburst, remake do baixo Hofner de Paul Mccartney, adquirido em 2005, gig bag preto)
Guitarra eléctrica MATON SD2000LTD (Preta, braço rosewood, hardware cromado, importada da Austrália em 2007, hard case preta com marca estampada a dourado)
Guitarra eléctrica SAMICK TV TWENTY Blues Saraceno (Rôxa, braço maple, hardware black metal, adquirida em 2000, hard case preta)

aqui fotos.
Se tiverem informações, contactem o Chico: franciscorebelo@clix.pt / myspace.com/chicorebelo

sábado, 15 de Setembro de 2007

Já anda pelas livrarias

O meu bom amigo António Pires tem razões para estar radiante. O seu filho, perdão, o seu livro já viu a luz do dia. "As Lendas do Quarteto 1111", a história do grupo que reuniu José Cid formou no final dos anos 60 e por onde passaram nomes como os de Tozé Brito, Mike Sergeant, entre outros músicos, já se pode encontrar nos escaparates. A apresentação pública decorrerá no próximo mês. A curiosidade é imensa. Parabéns, António!

sexta-feira, 14 de Setembro de 2007

Os "kidults"

Depois de uma interessante abordagem deste fenómeno social na Pública de há umas semanas, eis outro artigo a falar no mesmo: somos jovens até mais tarde. Este artigo da CNN fala dos trintões e quarentões que cada vez mais vão enchendo os festivais. Entre outras notas de interesse na peça, eis alguns destaques:
The trend has unsettled social norms that dictate a child must rebel against their parents. Will the next generation of children be arch-conservatives?

(...)

But festivals are a lot of fun, and just because you're getting older doesn't mean you aren't entitled to have fun. Plus, the 30-somethings that now having children grew up during the rave scene in the late 80s and 90s that popularized mass gatherings in fields. They had so much fun then they think, "why give it up?"

quarta-feira, 12 de Setembro de 2007

Biko



Peter Gabriel "Biko" (videoclip original de 1980)

Porque hoje passam exactamente 30 anos do assassínio de Steve Bantu Biko, activista anti-apartheid.

terça-feira, 11 de Setembro de 2007

Os nuggets brasileiros


Já era mais ou menos famoso este blogue onde, com regularidade, vão sendo depositadas algumas das mais preciosas relíquias do rock psicadélico brasileiro dos anos 60 (e não só). Para quem não está para se perder em tanto álbum que o autor do blogue por ali vai deixando, existe agora outra possibilidade, aqui neste colecionador incurável: seis volumes recheados de temas de bandas brasileiras da mesma época. É certo que há muito azeite pelo meio, mas vale a pena. É aproveitar enquanto os ficheiros ainda estão descarregáveis.
Obrigado, Ana! ;)

quarta-feira, 5 de Setembro de 2007

Vamos fazê-lo dada



LET'S DO IT A DADA
Ba-oommpff!

Let's do it, let's do it, let's do it a Dada!

Bei Herzfeldes hab ich mal gefruehstueckt
in Steglitz oder Wilmersdorf
mit Wieland hab ich mich gestritten
mit Wieland, nicht mit John
Ich reichte ihm die Schere
Ich kochte ihm den Leim

In keinem Diktionaer
hat es den Eintrag je gegeben
nur du ich my darling
wir wissen was es wirklich heisst
Lets do it, lets do it, letsdo it a Dada!

Ich spielte Schach mit Lenin
Zuerich, Spiegelgasse
Ich kannte Jolifanto hoechstpersoenlich
hab mit dem Urtext selbst einmal gebadet
Ich spielte mit Anna
Ich spielte mit Hannah
Ich weiss wo der Kirchturm steht
Ich reichte ihr das Kuechenmesser
Ich kochte ihr den Leim

Hawonnnti! (Lautgedicht)

Let's do it, let's do it, let's do it a Dada!

Huelsendada
Prapagandada
Monteurdada
Zentrodada
Das Oberdada

Ein grosses Ja ein kleines Nein
Ich trank ne Menge
trank mit George
war trotzdem nicht zur Stelle
an der Kellertreppe
morgens am Savignyplatz

Ich half Kurt beim Bauen seiner Haeuser
No. 1, 2 und 3
Ich reichte ihm die Saege
Ich kochte ihm den Leim

Aaah Signore Marinetti
Back from Abyssinia?

Just You and me my Darling
we know what it really means
Let's do it, let's do it, let's do it a Dada!

Nas lojas a 19 de Outubro.

Charadas #396

terça-feira, 4 de Setembro de 2007

Os meus primeiros youtubos



Anonima Nuvolari "O Sarracino" + "Bella Ciao" (ao vivo na Póvoa de Varzim, festival Músicas do Mar, em 1 de Setembro de 2007)

Outros vídeos do mesmo dia:

Buona Sera
Pasqualino Marajà
Viva la Pappa col Pomodoro
Pigliate 'Na Pastiglia

Milhões de festa

Chama-se mesmo assim o evento que a incansável Lovers & Lollypops vai levar a cabo em Braga, no Censura Prévia, nos próximos dias 21 e 22 de Setembro. Não são milhões, mas são muitos os projectos que vão por ali passar:

Dia 21 (sexta-feira)
Piso 1 - THE ASTROBOY, YELLOW LAND, NIMAI
Piso 2 - MOTORNOISE, OS LACRAUS, SIZO, SMIX SMOX SMUX
Piso 3 - LOBSTER
After Party - SÉRGIO, FAT ROBOT, XINOBI, VIVAX + ELECTROPUTA

Dia 22 (sábado)
Piso 1 - AQUAPARQUE, TERRITÓRIO + p.ma
Piso 2 - IF LUCY FELL, LODO (LOBSTER + DOPO) + p.ma, RIDING PANICO, HOLY LLAMA
Piso 3 - FEIA MEDROÑO, THE FESTMEN
After Party - FOICE HUMANA, INTERRUPTO + MUNDO LEGO, DEATH TECHNO

Os bilhetes custam seis euros para um dia e 12 para os dois (com oferta de compilação). Isto se forem comprados antecipadamente (Oferta da Compilação Milhões de Festa), na lojas Lost Underground (Porto) ou Louie Louie (Braga) ou ainda através da Lovers & Lollypops. No dia, no próprio local, os bilhetes custarão oito e 15 euros, conforme a modalidade. Para mais informações, é favor consultar www.loversandlollypops.com/milhoes.

Charadas #395

segunda-feira, 3 de Setembro de 2007

EME 07 com Biosphere

Vem aí mais uma edição dos Encontros de Música Experimental, que ao longo dos últimos anos têm decorrido em Palmela. Os concertos têm lugar na Igreja de Santiago, entre 3 e 6 de Outubro:

3 Outubro: Miguel Cabral (P), Marsen Jules (Alemanha)
4 Outubro: Rui Costa (P), Nook (Alemanha), Zavoloka (Ucrânia)
5 Outubro: Pygar (P), Tim Hecker (Canadá)
6 Outubro: Mosaique (P) + Laetitia (P), Biosphere (Noruega)

Instalações: Lia, Laetitia Morais, Hugo Olim, Paulo T Silva, Marta Traquino e André Gonçalves

Mais informações em www.emefestival.org

Aggrolites e Skatalites em Lisboa

Os Aggrolites, banda que já serviu de suporte a Prince Buster, estreiam-se por cá, a 23 de Novembro. Mais cedo, a 11 de Novembro, virão os Skatalites, que assim regressam ao nosso país. Ainda não são conhecidos os locais em que acontecerão estes concertos. A produção é da Xuxa Jurássica.

Uma anedota envolvendo a autoridade

(Os Anonima Nuvolari tinham ido buscar os instrumentos ao hotel para tentar animar um resto de noite na Póvoa, que não teria graça de outra forma... Alguns minutos depois, um senhor agente da PSP, adiante designado como "senhor bófia" para não comprometer a sua identidade, irrompe pela esplanada dentro, com a delicadeza de um elefante acabado de sair de uma hemisferoctomia. "Acabou", disse, mas a conversa ficou ainda mais animada, como se pode ver neste pequeno trecho:)

senhor bófia: bocês estão a fazer barulho! houve queixas!
alguém do público: mas ninguém se queixa do Hit (nota: mega-discoteca mesmo do outro lado do passeio alegre)?
senhor bófia: do Hit não há barulho. bocê consegue oubir alguma coisa?
o mesmo alguém do público: até lhe consigo dizer o que está a passar neste momento...
senhor bófia: ai consegue? ai consegue? então diga-me lá o que é!
ainda o mesmo alguém: olhe, é a "......" da Britney Spears!
senhor bófia: acha que isto é a Britney Spears?

É sempre a mesma coisa todos os anos na Festa

Esta será provavelmente a Festa do Avante! em que a música aparece com o melhor cartaz dos últimos anos. Sabemos que lá vão os romenos frenéticos da Fanfare Ciocarlia, na companhia de alguns dos convidados que participam no mais recente disco do grupo. Sabemos que o mestre da kora, o maliano Toumani Diabaté, vai encantar todos aqueles que assistirem ao seu concerto. Sabemos que os veteranos irlandeses Levellers também vão fazer por animar a malta. Sabemos que vai haver Cantata Outubro de Prokofiev. E que vai haver tributo a Adriano Correia de Oliveira. E a Zeca Afonso, também. E que Sérgio Godinho é um dos nomes portugueses mais sonantes no cartaz. Sabemos que todas estas coisas boas vão acontecer ao longo do próximo fim-de-semana.
Só não sabemos mesmo (dão-se loas a quem o descobrir) em que dias -- e se não for pedir demasiado, a que horas -- é que cada uma destas coisas sobe aos palcos da Festa. Dá até a impressão que não interessa que se saiba.

Charadas #394

domingo, 2 de Setembro de 2007

A lua e o mar

Acaba hoje, com um concerto dos La Troba Kung Fú, a primeira edição (ou a edição zero, se preferirmos) do Músicas do Mar, festival de músicas do mundo da Póvoa de Varzim.
(Pessoalmente, jamais esquecerei a madrugada de ontem, com os Anonima Nuvolari, bêbedos, a tocarem na praia para um pequeno grupo de amigos resistentes, ainda mais bêbedos, o "Guarda Che Luna".)